de um azul muito claro

Ao fazer as malas, Sofia não esqueceu da caixinha. Era uma moça de natureza distraída, de um espírito tão mal ligado ao mundo real que sua existência pairava em ares aquarelados. Não foi por acaso que, ao deixar a casa que fora de seu pai, abandonou móveis, cortinas, panelas; mas a caixinha, não deixaria para … Continue reading de um azul muito claro

Advertisements